terça-feira, 5 de maio de 2009

Saúde Pública


Frente Parlamentar exige

esclarecimentos para população



Em reunião extraordinária, Frente Parlamentar de Combate e Prevenção à Aids e Tuberculose, coordenada pelo deputado Paulo Borges, discutiu a desinformação sobre as contraindicações da vacina da Gripe e Febre Amarela



Em virtude das dúvidas geradas pela sociedade sobre quem pode, ou não, ser vacinado, a Frente Parlamentar se reuniu hoje à tarde, na Assembleia Legislativa, com especialistas da área de saúde do RS. O proponente da reunião, Paulo Borges (DEM), relatou que o encontro foi esclarecedor, e que essa cristanilidade na informação dever ser repassada a sociedade o quanto antes: "A Secretaria de Saúde deve fazer uma nota à sociedade para esclarecer, principalmente aos portadores de HIV ou pessoas em tratamento quimioterápico, quem está apto a tomar as prevenções disponibilizadas".


Há um consenso: muitas informações estão sendo jogadas à sociedade sem um real esclarecimento sobre o assunto. Eduardo Sprinz, infectologista do Hospital de Clínicas, foi enfático quando falou sobre a vacinação para pessoas com imunodeficência: "Não é indicado que pessoas portadoras de HIV, que estejam fazendo quimioterapia ou que sejam usuários de drogas imunosupressoras tomem as vacinas disponibilizadas nos postos, seja Febre Amarela ou Gripe". O especialista diz que cada caso dever ser analisado particularmente e que existe um exame para constatar se o imunodeficiente está apto ou não para tomar a prevenção. A principal iniciativa do portador do HIV é consultar o seu médico antes de se dirigir ao posto de saúde, conforme explica a Dra. Alethea Sperb, do Centro de Vigilância em Saúde: "As pessoas não devem criar nenhum alvoroço. Basta ir ao seu especialista e ele dará a devida indicação do procedimento a ser tomado pelo paciente".


Sandra Perín, do Grupo de Apoio aos Portadores de Aids (GAPA/RS), diz que os gaúchos estão com informações desencontradas e agindo impulsivamente ao ir tomar a vacinação sem o devido cuidado: "O medo, gerado pela forma de abordagem da mídia quanto ao H1N1 e a Febre Amarela, está fazendo com que as pessoas, inclusive os portadores de HIV, tenham pressa em se prevenir, sem saber a real consequência dessa aplicação em seu sistema imunológico". Tânia Figueiró, representante da Secretaria da Saúde (SES), também diagnosticou o atropelo de informações dadas a sociedade, e vai levar a SES o pedido DA Frente Parlamentar de uma nota técnica esclarecedora para que os cidadãos gaúchos, portadores ou não de HIV, saibam se estão aptos a tomar as vacinas.

Um comentário:

  1. [b]Sabe gente!..Assim como a maioria das pessoas,eu estava um tanto decepcionado com política,devido a desencantos com nosso governo em não apoiar as ONGS humanitarias que dirijo. Pensei porém que pior seria descer do trem na estação chamada desânimo. Procurei então alguém que me mostrasse um caminho diferente sintonizado com uma postura altruísta e comportamento de cárater ético. E pra meu espanto encontrei no Paulo Borges[Homem do Tempo],todas estas qualidades e outras mais. Além do mais temos uma visão semelhante e filosofia de vida competamente iguais. Votem nele gente!!
    PAULO BORGES P/DEPUTADO ESTADUAL /2500/ "É POSSÍVEL FAZER POLÍTICA COM HONESTIDADE"!!

    ResponderExcluir